Fortaleza iniciará, a partir da próxima segunda-feira (22/06), a segunda fase do plano de retomada gradual das atividades econômicas e cotidianas. Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, o prefeito Roberto Cláudio e o governador Camilo Santana anunciaram, neste sábado (20/06), detalhes relacionados à decisão prevista em decreto.

Em virtude da atual situação epidemiológica da Capital, com redução do número de casos, de internações e de óbitos causados pela Covid-19, estarão autorizados o funcionamento de restaurantes das 9h às 16h, de templos religiosos com 20% da capacidade de ocupação e a prática de exercícios físicos individuais ao ar livre. Paralelamente, será ampliado o número de trabalhadores da indústria e do comércio autorizados a atuar.

A determinação deverá seguir por 14 dias e inclui, além do cumprimento de protocolos sanitários específicos, a obrigatoriedade do uso de máscaras e de álcool gel.

De acordo com o governador Camilo Santana, a análise epidemiológica, realizada por autoridades de saúde e especialistas de diversas áreas, acontecerá semanalmente e determinará as circunstâncias e o prosseguimento da retomada. “Esta segunda fase será de 14 dias. Mas o decreto só vale por sete dias prorrogáveis mediante a avaliação dos números. A cada semana, seguiremos avaliando o comportamento da pandemia”, esclareceu.

O prefeito Roberto Cláudio reafirmou a necessidade da atenção aos cuidados preventivos básicos. “Os indicadores de saúde foram e continuarão sendo o nosso guia orientador deste processo. Foram eles que permitiram a evolução da fase 1 para a fase 2 da retomada. Para cada uma das ações, há um protocolo sanitário específico. Precisamos seguir evitando aglomerações e riscos à saúde. O monitoramento e a fiscalização continuarão. Havendo algum risco à saúde pública, a retomada certamente será interrompida”, alertou.

Por fim, Camilo Santana destacou que, diante do ainda vigente quadro pandêmico, a normalidade não está estabelecida. “A pandemia continua. Todas as decisões estão sendo baseadas em critérios técnicos, com muita responsabilidade, ouvindo todos os especialistas. O Ceará, hoje, é o Estado que mais testa no País. Em Fortaleza, estamos realizando soroprevalência. Por isso, estamos tomando decisões baseados em dados concretos. Sabemos da importância da economia e do emprego, mas a nossa prioridade sempre será a vida das pessoas e iremos continuar agindo de forma sustentável, contando com a colaboração de todos para que, daqui a 14 dias, consigamos avançar para as próximas fases”, finalizou.